Skip to content

Diplomacia ou organizações internacionais: qual é a melhor opção para mim?

Muita gente confunde e acha que é a mesma coisa ser diplomata e trabalhar para uma organização internacional ou ONG internacional. Mas não é! 

Ainda que diplomatas atuem em organizações internacionais, e funcionários e funcionárias de organizações internacionais exerçam muitas vezes tarefas de negociação diplomáticas, são carreiras muito distintas. 

Para ajudar você a decidir qual é a área que se encaixa melhor no seu projeto de vida, separamos alguns pontos principais sobre essas carreiras. Se tiver dúvidas escreva pra gente nos comentários!

Não esqueça de seguir o Carreiras Globais no Instagram @carreirasglobais para não perder nenhuma vaga!!

Diplomacia

O profissional de diplomacia é um servidor público responsável por representar os interesses de um país no exterior. Cada país tem sua forma de seleção e estrutura de carreira diplomática. No caso do Brasil, o ingresso se dá por concurso público para admissão no Instituto Rio Branco, ligado ao Ministério das Relações Exteriores.

Mas e o diplomata não trabalha na ONU?

Sim, o diplomata pode trabalhar em organizações internacionais, como a ONU – representando os interesses do seu país de origem nas sedes da ONU em NY ou em Genebra, por exemplo. Assim, um/a diplomata brasileiro/a vai defender os interesses do Brasil na organização,  O corpo diplomático nessas missões será responsável por negociar questões de direitos humanos, meio ambiente, entre tantas outras. 

Mas é importante ressaltar que o funcionário da diplomacia sempre defenderá os interesses do seu país (no caso do nosso exemplo, o Brasil). 

Existem também vários cargos nessas organizações que são de nomeação pelos países, em geral altos cargos de gestão. Mas ainda assim, a nomeação e o vínculo são dependentes dos países de origem. 

Serviço público internacional

A diferença principal de um diplomata para um funcionário contratado por uma organização internacional é exatamente essa questão do vínculo com algum país.

Acontece o extremo oposto com funcionários contratados por organizações internacionais: é o caso da ONU, suas entidades (como o ACNUR, UNICEF, etc).

Esses funcionários têm de declarar que não estão a serviço de seu país, e que atuarão pautados pelos interesses da organização. no caso da pessoa que trabalha contratada pelas Nações Unidas ou suas entidades para organizações internacionais e ONGs internacionais. Esse funcionário tem de declarar que não está a serviço do seu país, que estará atuando apenas levando em conta os interesses da organização. 

No caso da ONU, o funcionário estará vinculado ao que diz a Carta das Nações Unidas e não pode atuar no seu trabalho por interesses vinculados ao seu governo ou a quaisquer interesses nacionais.

As vagas que publicamos aqui no Carreiras Globais se encaixam nessa categoria. São cargos de perfil técnico, que envolvem profissionais das RI, da Arquitetura, do Direito, da Engenharia… e todas as áreas que você pode imaginar!

Muitos dizem que existem duas ONUs: a ONU que é a ponta do iceberg, as negociações diplomáticas em Genebra e Nova York que tendemos associar à ONU. 

E há essa outra ONU, onde se dá o trabalho da organização ao redor do mundo com o trabalho de milhares de funcionários especializados em todas as áreas atuando em escritórios nacionais, regionais, locais…

Para você ter uma idéia, o Secretariado das Nações Unidas tem aproximadamente 41 000 funcionários – dos quais 40% trabalham nas sedes em Nova York, Genebra, Viena e Nairóbi.

E onde estão esses outros quase 25 000 funcionários?

Em qualquer lugar que você possa imaginar! No interior do Congo, coordenando a gestão de campos de refugiados, no Haiti, realizando análise política, no sul da Ásia, preparando a resposta a desastres climáticos… 

Isso sem contar os/as milhares de funcionários e funcionários das entidades da ONU (além do secretariado), das centenas de organizações internacionais que não fazem parte do Sistema ONU, das ONGs Internacionais. 

Nesse momento, sempre é bom lembrar o famoso vídeo do inesquecível Sérgio Vieira de Mello no qual ele convida os jovens funcionários da organização a ir para o campo (field) – “que os verdadeiros desafios e recompensas de servir as Nações Unidas estão lá no terreno, onde as pessoas estão sofrendo e onde precisam de você”

E qual carreira é melhor para mim?

Não existe resposta única para saber qual carreira seguir. Isso depende dos seus sonhos, das suas competências técnicas e das suas circunstâncias específicas. Preparamos essa tabela com alguns pontos de reflexão sobre as duas carreiras para convidar você a refletir sobre qual se encaixa mais no seu perfil e aspirações de vida:

Diplomacia 

  • É uma carreira de Estado que inclui a estabilidade do serviço público brasileiro e uma estrutura pré-estabelecida de carreira e de plano de cargos.
  • A carreira em geral envolve viajar bastante, mudando de país depois de alguns anos. Em alguns casos, existe a possibilidade de permanecer em Brasília.
  • O serviço é em geral em capitais, variando de países com mais ou menos infraestrutura.
  • As atividades incluem principalmente tarefas de representação do país no exterior, negociação multilateral e serviço consular a brasileiros no exterior.
  • O crescimento na carreira segue a passagem por seis níveis pré-definidos.

Carreira em organizações internacionais e ONGs internacionais

  • A carreira não tem uma estrutura única. Você pode fazer applications pra diversas organizações, em diversos países e para diversos tipos de cargo. Isso implica mais flexibilidade, mas mais insegurança. A maior parte das organizações não tem um plano de carreira claro (a ONU incluída), com exceção de algumas.
  • A mobilidade é uma característica de uma carreira em organizações internacionais, com exceção de contratos específicos (ex. Nacionais), então deve-se esperar mudança de país com frequência.
  • Existem vagas a que se pode aplicar em toda espécie de condições – desde capitais de países, passando por cidades menores e até zonas remotas, campos de refugiados e com lugares afetados por conflito armados.
  • São inúmeras as atividades possíveis a depender de cada cargo – podem incluir desde atividades de gestão de projetos, de proteção, assistência, gestão de informação, serviços médicos, construção, etc.

E aí, se interessou por essas carreiras? Siga o Carreiras Globais no Instagram @carreirasglobais e não perca nenhuma vaga!

E se tiver dúvidas nos deixa um comentário!

O Carreiras Globais é uma plataforma independente de divulgação de oportunidades e de material informativo para carreiras. Não somos vinculados às organizações e aos processos seletivos anunciados.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Siga-nos e não perca nennhuma oportunidade

%d bloggers like this: